Milho avança em Chicago com grande venda para a China

Cenário: Filipe Domingues

O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2012 | 03h07

As cotações do milho subiram com força ontem na Bolsa de Chicago, puxadas por grandes vendas para a China. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos anunciou a exportação de 1,44 milhão de toneladas do cereal para "destinos desconhecidos" na temporada 2012/13. Analistas afirmam que estes "destinos" são certamente a China, mas o governo local não quer deixar claro que está comprando grandes volumes para não promover uma forte valorização da commodity. Outras 120 mil toneladas foram assumidamente adquiridas pelos chineses ontem. Assim, os contratos do milho para entrega em julho saltaram 2,96%, para US$ 6,2550 por bushel.

As vendas coincidiram com a expectativa de participantes do mercado, nas últimas semanas, de que a China faria uma grande compra dos Estados Unidos para reabastecer seus estoques. A estatal chinesa China Grain Reserves (Sinograin) afirmou em março que vai continuar importando o grão neste ano, se achar necessário e os preços forem atraentes. O país está consumindo mais milho para ração e alimentos. A confirmação dessa grande venda renovou as preocupações de que a demanda chinesa pode enxugar ainda mais os estoques já baixos do cereal nos Estados Unidos.

A alta do milho influenciou os preços do trigo, que também é usado como ração. Os lotes para entrega em julho avançaram 2,28%. Na mesma bolsa, a soja avançou 1,05%, com sinais de oferta apertada. O Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês) reduziu a sua projeção para a safra da América do Sul pela sexta vez, por causa do tempo seco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.