Milho cai 1,82% com medo da crise

Os contratos de milho negociados na Bolsa de Chicago terminaram o pregão de ontem com desvalorização, reflexo ainda das preocupações com a economia global em meio à crise europeia. O vencimento de julho caiu 1,82%, fechando a US$ 3,6425 por bushel.

Análise: Filipe Domingues, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2010 | 00h00

A queda dos preços do cereal também foi influenciada por dados referentes à safra americana, divulgados na última segunda-feira. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) informou que 71% da safra se encontra em boas condições, enquanto os analistas esperavam que a parcela fosse de 67%.

O clima no país segue favorável ao desenvolvimento das plantações de milho. Até o momento, há sinais de que a nova safra terá boa produtividade, com possibilidades de que a produção seja um recorde nos Estados Unidos. Levando em conta esses aspectos, a tendência é de grande oferta e, portanto, de preços em queda.

Também negociados em Chicago, o trigo recuou 1,50% e a soja cedeu 1,06%, no mesmo contexto das incertezas sobre a crise europeia, iniciada há semanas com o problema da dívida na Grécia. O temor de que ela se espalhe na zona do euro e na economia global deixa o mercado sem direção segura. Assim, muitos investidores vêm se afastando de commodities e ações, que são tidos como ativos de maior risco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.