Mina de cobre é alvo de greve no Chile

Minas Doña Inés de Collahuasi, que entrou em greve hoje, e Escondida, que começou paralisação na semana passada respondem por cerca de 10% da produção mundial de cobre

Agência Estado,

30 de julho de 2011 | 13h44

Trabalhadores da mina de cobre Doña Inés de Collahuasi, no Chile, entraram em greve hoje, de acordo com informações do sindicato local em sua página no Twitter. A mina, localizada 185 quilômetros a sudeste do porto de Iquique, responde por cerca de 3% da produção mundial de cobre.

A paralisação ocorre após a greve iniciada há uma semana na também mina chilena de cobre Escondida. Maior mina de cobre do mundo, Escondida é responsável por 7% da produção global do minério. Os preços do cobre já vinham pressionados nos últimos dias por conta da greve de Escondida.

Os mineradores de Doña Inés de Collahuasi, que no ano passado cruzaram os braços por 33 dias, exigem melhores condições de trabalho. A mina é controlada pela Xstrata e Anglo American, cada uma com uma participação de 44%, e por um consórcio liderado pela Mitsui, que detém os 12% restantes. O Chile é o maior produtor mundial de cobre, responsável por um terço do abastecimento mundial. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chilecobreminagreveprodução

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.