Minc defende licenciamento ambiental do Comperj

O secretário estadual de Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Minc, defendeu nesta terça-feira o licenciamento ambiental do porto, da estrada de acesso e do emissário submarino do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), empreendimento bilionário da Petrobras. A Comissão Estadual de Controle Ambiental (Ceca) concedeu as licenças prévias de instalação para o sistema logístico do Comperj em 31 de julho, reforçando exigências.

VINICIUS NEDER, Agencia Estado

18 de setembro de 2012 | 14h41

Segundo Minc, o porto, localizado em São Gonçalo, será convertido em terminal para pesca artesanal após receber os equipamentos pesados para a construção da refinaria. Já o emissário dobrará de tamanho (para 4 quilômetros de extensão) e os efluentes terão que ser tratados de forma mais rigorosa. Além disso, a Petrobras terá que investir R$ 60 milhões em saneamento básico em Maricá, município por onde passará o emissário dos efluentes.

"O pré-tratamento dos efluentes será 10 vezes mais rigoroso do que o padrão do Conama", afirmou Minc após participar de cerimônia de lançamento dos editais para a seleção de projetos do Programa Petrobras Ambiental (PPA) e do Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania (PPDC), na sede da estatal, no Rio.

Tudo o que sabemos sobre:
Comperjmeio ambienteMinc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.