Minc reitera posição contra Angra 3 e fala em novas regras

Ministro do Meio Ambiente afirma que Ibama vai incluir novos pontos nas licenças ambientas para a usina

Ana Paula Scinocca, de O Estado de S. Paulo,

08 de julho de 2008 | 13h46

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, afirmou nesta terça-feira, 8, que o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vai estipular novas regras para conceder as licenças ambientais para a usina nuclear de Angra 3, cuja construção foi confirmada pelo governo nesta semana.   Veja também: Governo já tem data para tirar Angra 3 do papel: 1º de setembro   Reiterando ser contrário à construção da usina - as obras estão previstas para o início de setembro -, Minc afirmou que trata-se de uma "decisão de governo".   Em seguida, antecipou o que está se discutindo no ministério sobre a concessão das licenças. "Eu posso dizer é que vamos acrescentar vários pontos nessa licença ambiental. Queremos um prazo para se resolver o problema dos rejeitos". Outra providência, segundo ele, é exigir que Angra 3 tome conta de parques ao redor de sua construção.   Uma terceira medida em estudo é a obrigatoriedade de monitoramento externo e independente para os níveis de radiação. "Teremos sensores em terra, mar e ar e quem vai operar isso é uma universidade ou fundação independente, como já há na Espanha", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.