''''Mineração pode passar por nova onda de fusões''''

Londres - O presidente do grupo suíço de mineração Xstrata, Mick Davis, disse ontem que a decisão da anglo-australiana BHP Billiton de tentar adquirir a rival Rio Tinto, também anglo-australiana, deve provavelmente levar a outra onda de fusões no setor. "Se essa transação vai avançar ou não, o tempo dirá. Mas ela certamente cria uma outra dinâmica e dá impulso para a consolidação da indústria", disse o executivo, em uma apresentação para investidores. As declarações foram feitas apenas um mês após a Xstrata ter lançado uma oferta de US$ 2,6 bilhões pela mineradora de níquel Jubilee Mines, e fortalecem os rumores de que uma proposta de US$ 8,4 bilhões pela mineradora de zinco e chumbo Zinifex poderia ser seu próximo passo.Antes disso, porém, a Xstrata anunciou ontem mesmo uma oferta, em dinheiro, de US$ 842 milhões pela mineradora australiana de carvão Resource Pacific, superando a proposta da New Hope Corp. A Xstrata tem sido uma das companhias estrangeiras mais ativas em aquisições na indústria de mineração da Austrália desde a compra de minas de cobre e zinco da MIM Holdings, em 2003.A decisão de fazer uma oferta pela Resource acontece em um momento de alta explosiva dos preços do carvão, cuja oferta é escassa. "Tentamos colocar um preço na mesa que permita fecharmos isso rapidamente", disse o presidente da Xstrata Coal, Peter Coates.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.