Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Mineradoras destacam incertezas após Austrália aprovar imposto de 30%

Parlamento do país aprovou na segunda-feira, 20, um novo imposto de 30% sobre lucros com exploração de minério de ferro e carvão

Danielle Chaves, com informações da Dow Jones,

21 de março de 2012 | 12h46

As gigantes do setor de mineração BHP Billiton e Rio Tinto continuam alegando que não têm certeza sobre quanto pagarão em impostos, apesar de a legislação que aumenta os encargos ter sido aprovada pelo Parlamento da Austrália, informa o jornal The Australian. Às 12h11 (de Brasília), BHP caía 1,42% e Rio Tinto recuava 0,75% em Londres.

O Parlamento do país aprovou na segunda-feira um novo imposto de 30% sobre lucros com exploração de minério de ferro e carvão. A primeira-ministra australiana, Julia Gillard, e outros ministros defenderam o novo imposto como uma reforma que pretende distribuir para todos os setores do país os benefícios do boom da mineração.

"Apenas companhias mineradoras com grandes lucros pagarão o imposto e os recursos gerados irão para onde podem fazer a maior contribuição para criação de empregos e crescimento econômico", disse Gillard em um comunicado divulgado ontem.

O governo planeja usar os recursos gerados pela nova tarifa para reduzir de 30% para 29% o imposto corporativo geral, aumentar os depósitos nos fundos de pensão para os trabalhadores, fornecer isenções fiscais sobre investimentos de pequenas empresas e investir em infraestrutura, segundo Gillard. No entanto, executivos da BHP e da Rio Tinto destacaram que o imposto é complexo e que ainda não há clareza sobre diversos aspectos, como a base de cálculo e as deduções.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.