finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Minério de ferro mais barato afeta a balança

A queda das cotações internacionais do minério de ferro não apenas afeta as grandes siderúrgicas e mineradoras brasileiras, como empurra para baixo os montantes exportados pelo País, já insuficientes para cobrir as importações. Na primeira semana do mês, segundo reportagem do Estado (10/9), a média diária de exportação de produtos básicos - entre eles o minério de ferro - caiu 15,5% em relação à de igual período do ano passado, de US$ 499,7 milhões para US$ 422,2 milhões, e a balança comercial de 1.º de janeiro a 5 de setembro apresentou déficit de US$ 524 milhões, mostrando a dificuldade para alcançar um saldo positivo neste ano.

O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2014 | 02h04

Estão em curso vultosos investimentos no parque siderúrgico, mas algumas empresas já reduzem o montante aplicado, enquanto outras adiam os projetos, cuja viabilidade depende das cotações globais. Em 2013, o preço médio da tonelada de minério de ferro foi de US$ 135, cotação igual à de 2 de janeiro deste ano, despencando a partir de fevereiro. Em agosto, era de US$ 92 e, na quarta-feira, atingiu US$ 82,2 no mercado chinês.

O preço de equilíbrio do mercado de minério de ferro é estimado pela área econômica do Banco Itaú em US$ 90 a tonelada, queda de US$ 11 em relação às projeções de agosto. Empresas com custos de logística elevados correm o risco de operar com prejuízo. As cotações de suas ações negociadas em Bolsa já acusam forte declínio (a ação mais negociada do setor perdeu 20% do seu valor em Bolsa neste ano).

Em resumo, poucas empresas preservarão a rentabilidade nas exportações de minério de ferro se as cotações forem inferiores a US$ 90 a tonelada. Na China - a maior compradora -, a economia está operando em ritmo mais lento. O custo do transporte do minério entre o Brasil e a China é da ordem de US$ 24 a tonelada, segundo relatório do Banco Goldman Sachs, citado na reportagem do Estado.

Em 2013, o minério de ferro foi o produto mais importante da pauta de exportações brasileiras, com peso de 12,9% das vendas totais, perdendo, neste ano, o lugar para a soja em grão. No período de janeiro a agosto de 2013 foram exportados US$ 20,2 bilhões em minério de ferro, montante que caiu 9,5% em igual período deste ano, quando atingiu US$ 18,1 bilhões. Não fosse a diferença desfavorável de US$ 2,1 bilhões entre os dois períodos, a balança comercial registraria até agora, neste ano, não um déficit, mas um superávit superior a US$ 1,5 bilhão.

Tudo o que sabemos sobre:
Editorial econômicoMinério de ferro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.