Minério de ferro não deve subir, diz siderúrgica chinesa

Maior siderúrgica do país não planeja ampliar sua capacidade de fabricação de aço no próximo ano

Hélio Barboza, da Agência Estado,

17 de dezembro de 2009 | 09h35

Os preços de referência do minério de ferro não devem subir em 2010, disse Ma Guoqiang, gerente geral da chinesa Baoshan Iron and Steel, numa reportagem do China Securities Journal. A Baoshan é a unidade listada em bolsa do grupo Baosteel, maior siderúrgica chinesa em produção.

 

"Como ainda há pessimismo sobre a situação financeira para as siderúrgicas mundiais neste ano, é improvável que os preços do minério subam no ano que vem", afirmou o executivo.

 

Ele disse também que a Baoshan não planeja ampliar sua capacidade de fabricação de aço em 2010 e que a produção de aço da China deve chegar a 570 milhões de toneladas neste ano.

 

Negócio

 

O conselho de administração da China Steel, maior siderúrgica de Taiwan, aprovou o plano da companhia de pagar 3 bilhões de dólares taiwaneses, equivalente a US$ 92,775 milhões, por uma participação de 1% na Nacional Minérios S/A (Namisa). A informação foi dada pelo vice-presidente executivo da China Steel, L.M. Chung.

 

A empresa entrará no projeto por meio da compra de uma participação de 0,5% da Sumitomo Metal Industries e outros 0,5% da Itochu, afirmou o executivo. "Esta é uma oportunidade para diversificarmos nossas fontes de fornecimento de minério de ferro", declarou.

 

Antes do investimento da China Steel, seis empresas japonesas e a sul-coreana Posco tinham uma participação combinada de 40% do projeto. Os 60% restantes pertencem à Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). O investimento na Namisa está sujeito à aprovação dos acionistas da companhia brasileira e das agências governamentais relevantes, declarou a China Steel, num comunicado.

 

O investimento da China Steel na Namisa se segue ao que a companhia taiwanesa fez numa mina de carvão na Austrália, sugerindo que ela está procurando se proteger dos voláteis preços de matérias-primas.

 

Demanda

 

No mês passado, a China Steel disse que a forte demanda de aço por parte da China levará a um aumento neste ano de 30% a 35% nos preços do minério de ferro fornecido pelas três grandes mineradoras - a Vale e as anglo-australianas BHP Billiton e Rio Tinto.

 

Chung não revelou o montante de minério que a China Steel receberá, mas disse que a mina tem reservas estimadas em 1,4 bilhão de metros cúbicos. A China Steel usa cerca de 16 milhões de toneladas de minério por ano e precisará de um adicional de 3 milhões de toneladas já a partir do ano que vem, quando sua subsidiária integral Dragon Steel iniciará a produção em dois altos-fornos com capacidade de 2,5 toneladas por ano em Taichung, no centro de Taiwan. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ferrominérioChinaCSNsiderurgiaNamisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.