Minério de ferro pressiona e IGP-M acelera para 0,55% na 2ª prévia de agosto

Indicador que reajusta os contratos de aluguel subiu 0,03% em igual medição de julho

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

19 de agosto de 2010 | 08h01

Pressionada pela mudança de trajetória na variação do preço do minério de ferro no atacado(de -0,73% para 14,81%), a segunda prévia do IGP-M acelerou em agosto, com alta de 0,55%, após subir 0,03% em igual prévia do mesmo indicador em julho. O resultado, anunciado nesta quinta-feira, 19, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE-Projeções, que esperavam uma elevação entre 0,41% e 0,67%, e se posicionou levemente acima da mediana das expectativas (0,54%).

A taxa acumulada do IGP-M é usada no cálculo de reajuste nos preços dos aluguéis. Até a segunda prévia de agosto, o IGP-M acumula aumentos de 6,42% no ano e de 6,75% em 12 meses. O período de coleta de preços para cálculo da segunda prévia do IGP-M deste mês foi do dia 21 de julho a 10 de agosto.

Atacado

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M) subiu 0,89% na prévia anunciada nesta quinta, após cair 0,01% em igual prévia do mesmo índice em julho.

Entre os produtos pesquisados no atacado para a segunda prévia do IGP-M deste mês, as altas de preço mais expressivas foram registradas em minério de ferro, destaque principal entre as elevações (14,81%); soja em grão (8,64%); e farelo de soja (6,98%). Já as mais significativas quedas de preço no atacado foram apuradas em leite in natura (-5,40%); batata-inglesa (-28,10%); e feijão em grão (-8,44%).

Varejo

Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) teve queda de 0,28% na segunda prévia deste mês, em comparação com a taxa negativa de 0,18% na segunda prévia do mês passado.

Entre os produtos no varejo, as altas de preços mais expressivas na segunda prévia do IGP-M de agosto, foram apuradas em alho (11,59%); álcool combustível (5,78%); e manga (9,60%). Já as mais significativas quedas de preços foram registradas em batata-inglesa (-29,53%); mamão da Amazônia - papaya (-23,00%); e tomate (-18,53%).

Construção

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou taxa positiva de 0,27% na segunda prévia do indicador deste mês, após registrar elevação de 0,72% na segunda prévia de julho.

Entre os produtos pesquisados, a FGV informou que as mais expressivas altas de preço na construção civil na segunda prévia do IGP-M de agosto foram apuradas em projetos (1,93%); tijolo/telha cerâmica (0,86%); e elevador (0,54%). Já as mais expressivas quedas de preços foram registradas em metais para instalações hidráulicas (-0,54%); refeição pronta no local de trabalho (-0,14%); e rodapé de madeira (-0,72%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.