Dado Galdieri|Bloomberg
Dado Galdieri|Bloomberg

Minerva anuncia aumento de capital de até R$ 1 bilhão

Reestruturação de capital da empresa teve de ser feita por causa do alto nível de endividamento

Nayara Figueiredo, Fabiana Holtz e Wagner Gomes, O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2018 | 11h56

O conselho de administração da Minerva aprovou na terça-feria, 11, o aumento de capital de até R$ 1,059 bilhão. A empresa também fará abertura de capital de sua controladora no Chile, a Athena Food. Após o anúncio, as ações da Minerva chegaram a cair 3,81% a R$ 5,55.

O nível de alavancagem da Minerva Foods atingiu o limite máximo aceitável pela companhia quando bateu 5 vezes, na relação calculada entre a dívida líquida e Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), durante o segundo trimestre de 2018, disse o diretor-presidente, Fernando Galletti de Queiroz. "Então, buscamos uma nova estratégia e decidimos mexer na estrutura de capital da empresa", disse em teleconferência.

O diretor financeiro da companhia, Edison Ticle, explicou que dois dos motivos que levaram ao aumento da alavancagem foram o elevado nível de investimento em capital de giro nas unidades da JBS Mercosul que foram compradas pela Minerva na Argentina, e a valorização do dólar ante o real, que inflou as dívidas em moeda estrangeira. "Esse patamar cambial também estava fora dos nossos planos", disse o executivo financeiro.

Os investimentos na JBS Mercosul, por exemplo, trouxeram melhoria de margens, "mas a alavancagem subiu muito e com o pagamento do serviço da dívida sobrava pouco para remunerar os acionistas", argumenta Ticle para justificar o aumento de capital.

Após anúncio de aumento de capital, ações da Minerva caem

Com os investidores ainda avaliando as implicações do aumento de capital, as ações ON da companhia chegaram a entrar em leilão ao recuarem 3,81%, a R$ 5,55, nesta quarta-feira, 12. Na máxima, o papel chegou a bater em R$ 5,94. Na direção oposta, o Ibovespa subia 0,79%, a 75.247 pontos.

"Com o preço acima do mercado fica difícil a adesão dos acionistas. Mas vejo o movimento como uma pressão pontual e momentânea. Lembro que o papel vem de um tombo muito grande, acumula queda de 47% em 2018", diz Pedro Galdi, analista da Mirae Invest.

Listagem de IPO da Athena Foods no Chile está prevista para abril de 2019 

A Oferta Pública Inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações da Athena Foods no Chile está prevista para acontecer em abril de 2019, disse o diretor financeiro da Minerva Foods, Edison Ticle. 

A Minerva é a controladora da Athena Foods e a expectativa da companhia brasileira é arrecadar de R$ 1 bilhão a R$ 1,5 bilhão com a listagem chilena. Em novembro deste ano, deve ser realizada a primeira etapa no Chile, de arquivamento na Comisión para el Mercado Financeiro (CMF, na sigla em espanhol).

Dois terços da arrecadação prevista com a operação ficarão para a Minerva Foods e parte será direcionada para redução das dívidas. Um terço do montante será destinado para crescimento dos negócios na Colômbia, Argentina e Chile. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.