Minha Casa aumenta em R$ 7,3 bi orçamento para PAC

Orçamento de 2010 elevou investimentos no PAC de R$ 22,5 bilhões para R$ 29,8 bilhões em um ano eleitoral

Edna Simão, da Agência Estado,

23 de dezembro de 2009 | 10h38

O relatório final do Orçamento de 2010, aprovado na noite desta terça-feira, 22, pelo Congresso Nacional, confirmou o aumento dos investimentos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) de R$ 22,5 bilhões para R$ 29,8 bilhões para um ano eleitoral. Essa elevação se deve à incorporação de R$ 7,3 bilhões de recursos do Programa Minha Casa, Minha Vida ao PAC.

 

Essa manobra contábil foi aprovada em novembro pela Comissão Mista de Orçamento (CMO) e vale também para a programação orçamentária de 2009. Com a alteração, o governo poderá abater até R$ 29,8 bilhões de investimentos da meta de superávit primário (economia feita para pagamento de juros), para 2010, que é de 3,3%.

 

Para tentar preservar o máximo possível os investimentos do PAC, o relator-geral do Orçamento, deputado Geraldo Magela (PT-DF), teve que negociar alguns pontos do texto final. Por exemplo, reduziu a margem de remanejamento dos recursos do PAC. No texto inicial, o governo federal poderia remanejar até 30% dos recursos do programa. Pelo texto aprovado, poderá mexer em até 25% dos investimentos por obra. Além disso, Magela teve que aceitar transferir parte de suas emendas de investimentos para as emendas de bancada.

 

O orçamento aprovado prevê ainda um salário mínimo de R$ 510,00 - o atual é de R$ 465,00. Outros R$ 3,5 bilhões foram assegurados para o reajuste das aposentadorias e pensões acima do mínimo. Também foram garantidos R$ 3,9 bilhões para ressarcir os Estados que tiveram prejuízos com a Lei Kandir.

Tudo o que sabemos sobre:
PCAMinha Casaorçamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.