carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Minha missão termina no dia 31 de dezembro, diz Gabrielli

Presidente da Petrobrás rebateu críticas divulgadas pelo site Wikileaks de empresas americanas em relação à mudança do modelo de exploração de petróleo no Brasil, em função da descoberta do pré-sal

Karla Mendes, da Agência Estado,

15 de dezembro de 2010 | 12h27

O presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, desconversou sobre sua permanência no governo de Dilma Rousseff. Questionado se permanecerá no cargo no próximo governo, Gabrielli apenas afirmou: "Minha missão termina no dia 31 de dezembro".

Gabrielli também rebateu críticas divulgadas pelo site Wikileaks de empresas americanas em relação à mudança do modelo de exploração de petróleo no Brasil, em função da descoberta do pré-sal. Segundo ele, a posição das empresas americanas já era conhecida desde a época da discussão aqui no País da mudança de concessão para a partilha e da instituição da Petrobrás como única operadora.

"Para a Petrobrás, é bom (ser operadora única) por diversificar as áreas e reduzir os custos. A Petrobrás é a empresa com maior experiência do mundo em águas profundas. Garante a qualidade técnica. É bom que seja o operador único", disse no Palácio do Planalto, onde aguarda o início da cerimônia de registro do balanço de governo 2003-2010.

Tudo o que sabemos sobre:
GabriellipetróleoPetrobrásWikileaks

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.