Mínimo deve ter aumento real superior a 2,5%, anuncia Berzoini

O ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, disse hoje que o salário mínimo de 2005, em discussão neste momento no âmbito do Orçamento Geral da União, poderá ter um aumento real entre 2,5% e 3%, com a incorporação do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) per capta, conforme estabelecido na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). "Estamos buscando possibilidades no Orçamento de alcançar um patamar superior a esse, porque, evidentemente, se pudermos crescer mais rápido o salário mínimo, isso significa maior poder de compra no mercado interno e, portanto, um maior crescimento econômico para 2005", opinou Berzoini. "De certa forma, o aumento do salário já é uma contratação de qual será o patamar de crescimento da economia, principalmente do mercado interno de 2005", complementou. Ele comentou também que o governo está empenhado para levar adiante a proposta das centrais sindicais, lideradas pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), de formação de um plano de recuperação do salário mínimo em longo prazo, no qual premissas de reajustes reais seriam previamente estabelecidas antes da formatação anual dos orçamentos da União. Ontem o presidente da Comissão de Orçamento, deputado Paulo Bernardo (PT-PR), havia dito que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu sinal verde para a elaboração do projeto de lei definindo critérios permanentes de reajuste do salário mínimo. "Não podemos ficar todo ano nessa polêmica de qual vai ser o valor do salário mínimo. Isso envolve muitas vezes uma questão justa, mas dá margem para muita briga política e demagogia", afirmou Bernardo. Veja matéria completa no link abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.