Mínimo em R$ 180 a partir de abril

O governo e o Congresso fecharam ontem à noite acordo para reajustar o salário mínimo para R$ 180 a partir de abril, um mês antes do prazo inicialmente previsto. Nessa conta, não constará a contribuição previdenciária dos inativos, medida que está em fase de estudo, pretendida pelo Executivo e rejeitada pelo Congresso.Em nota oficial divulgada após a reunião, o Planalto avisou que a elevação do mínimo "naturalmente está condicionada à aprovação dos três projetos de lei que tratam da (quebra) do sigilo bancário e do aperfeiçoamento dos instrumentos de combate à elisão fiscal". Desse montante a mais na arrecadação pretendida pela Receita Federal depende o orçamento que financiará a elevação do mínimo para R$ 180 (veja mais informações no link abaixo).De onde virá o dinheiro para a Previdência?Segundo o senador Amir Lando (PMDB-RO) os R$ R$ 3,1 bilhões a mais que a Receita deverá desembolsar para a Previdência Social decorrente da elevação do Mínimo para R$ 180 virá das emendas dos parlamentares, do corte dos custos da máquina administrativa federal e do aumento na arrecadação proveniente da aprovação de medidas que combatam a sonegação fiscal. Esse incremento possibilitará antecipar o pagamento do novo mínimo a partir de abril.

Agencia Estado,

29 de novembro de 2000 | 13h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.