Ministério acusa de eleitoreira proposta dos EUA de barrar a soja brasileira

O secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Maçao Tadano, qualificou de ?eleitoreira? a proposta apresentada pelo deputado republicano dos Estados Unidos Tom Latham de proibir importações de soja e produtos do Brasil e da Argentina, sob o argumento de evitar o risco de introdução da ferrugem asiática em seu país. ?Não vejo nenhuma preocupação com um projeto dessa natureza?, afirmou Tadano. Ele disse que não acredita na aprovação da matéria e relacionou a iniciativa ao ano de eleições presidenciais nos Estados Unidos.O fungo que causa a ferrugem asiática em lavouras de soja está presente em cerca de 15 dos 20 milhões de hectares cultivados com a oleaginosa no Brasil na safra 2003/04, segundo estimativa feita pelo pesquisador da Embrapa Soja José Tadashi Yorinori. Na Argentina, a Confederações Rurais informou que o fungo da ferrugem asiática encontrada em alguns cultivos de soja na região de Misiones, fronteira com o Brasil, não representa risco para a safra 2003/2004 desse grão. "A doença está completamente controlada e não significa risco algum para o país", disse o assessor da entidade, Carlos Nasif, por telefone de Buenos Aires. Na semana passada, o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Alimentar havia informado que o fungo encontrado na região norte do país estava longe dos principais centros da cultura de soja na Argentina e se tratava apenas de uma caso isolado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.