Ministério: agricultura é compatível com consumo

Um estudo preparado pela área de gestão estratégica do Ministério da Agricultura, com projeções até o ano de 2050, mostra que a agricultura brasileira terá condições de produzir tanto alimentos como biocombustível em patamar compatível ao consumo. De acordo com o estudo, a produção mundial de grãos deverá atingir 2,680 bilhões de toneladas em 2030 e 3,012 bilhões de toneladas em 2050, de acordo com dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Já o consumo de alimentos, de acordo com dados da FAO divulgados pelo Ministério, deverá passar de 2,68 bilhões de toneladas em 2030 para 3,01 bilhões de toneladas em 2050.O estudo traça um panorama bastante otimista para o agronegócio brasileiro. Cita, por exemplo, que o crescimento da população e o aumento da renda elevarão a demanda mundial por alimentos e países populosos, como China e Índia, terão dificuldade de atender ao consumo interno devido ao esgotamento das áreas agricultáveis. A disponibilidade de recursos naturais no Brasil é fator de competitividade e o agronegócio brasileiro tem potencial para crescer no período que vai até 2017/18.Para fazer a avaliação, a área de gestão estratégica considerou dados do governo e de organismos nacionais e internacionais, além de previsões da iniciativa privada. Foram considerados os cenários para os principais produtos do agronegócio: soja em grão, açúcar, milho, trigo, arroz, café, etanol, leite e carnes.No período que vai de 2006/07 até 2017/18, o maior crescimento em termos de produção será de etanol, biocombustível que está no centro do debate sobre a transferência de áreas antes destinadas aos grãos para a cana-de-açúcar, troca que, segundo representantes de organismos internacionais, impulsiona os preços dos alimentos no mercado mundial. No Brasil, a produção de etanol deve crescer de 18,9 bilhões de litros para 41,6 bilhões de litros em 2017/18, ou seja, o dobro do produzido em 2007. O consumo interno de etanol foi projeto pelo ministério em 30,3 bilhões de litros e as exportações em 11,3 bilhões de litros. A Secretaria de Produção e Agroenergia prevê vendas de um milhão de carros do tipo bicombustível em 2010, quase o dobro das vendas de carros movidos a gasolina, cujas vendas são projetadas em 467 mil unidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.