Ministério da Agricultura confirma 22º foco no MS

O Ministério da Agricultura confirmou hoje o 22º foco de febre aftosa no Mato Grosso do Sul. A doença foi identificada em Japorã, na zona interditada do estado, que fica no extremo sul, perto da fronteira com o Paraguai. Ao contrário dos casos anteriores, a fazenda onde foi confirmado este último foco é de grande extensão. O rebanho é estimado em 5.500 cabeças. Pelo menos 54 animais já manifestaram sintomas da doença. O abate do rebanho ainda não começou, mas deve ser iniciado nos próximos dias, de acordo com o diretor do Departamento de Sanidade Animal do Ministério da Agricultura Jorge Caetano. Hoje à tarde, representantes do grupo interministerial, que discute as alternativas para conter a doença na região e garantir renda aos produtores locais, se reuniram no Ministério da Agricultura. Segundo Luiz Gomes, da Secretaria Executiva do Ministério da Agricultura e coordenador do grupo, uma possibilidade avaliada pelo governo é o adiamento dos débitos dos produtores rurais da região, medida que está sendo avaliada junto ao Banco do Brasil. Outra possibilidade é a distribuição de cestas básicas aos pequenos agricultores. Para Luiz Gomes, os R$ 33 milhões liberados pelo governo federal para ações na região são suficientes neste momento. "O governo do estado também pagará uma parte destes gastos", disse. Ele admitiu, no entanto, que se perdurar por muito tempo o embargo de compradores internacionais e de dentro do País para os produtos do Mato Grosso do Sul, haverá necessidade de novas liberações. "Se o problema do embargo perdurar vamos gastar mais que os R$ 33 milhões", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.