Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Para Meirelles, corte dos juros em dezembro é altamente provável, diz 'Bloomberg'

Depois de ter dado declaração a agência internacional, ministro esclareceu a um grupo de jornalistas que não opina sobre juros, mas não foi suficiente para desfazer o ruído no mercado

Fábio Alves, O Estado de S.Paulo

22 Setembro 2016 | 11h24

A assessoria de imprensa do Ministério da Fazenda disse nesta quinta-feira, 22, que o ministro Henrique Meirelles em nenhum momento comentou o impacto do ajuste fiscal na taxa Selic a jornalistas. O que ele disse, segundo a assessoria de imprensa, foi que as medidas aprovadas no ajuste fiscal vão provocar "naturalmente" uma queda da taxa de juros estrutural da economia.

O mercado financeiro foi surpreendido na abertura dos negócios de hoje com uma declaração de Meirelles à agência de notícias Bloomberg, reproduzida pelo jornal Valor Econômico, de ser "altamente provável" a queda da Selic em dezembro.

A surpresa do mercado foi devido à postura sempre cautelosa de Meirelles em não interferir verbalmente nas decisões de política monetária.

Em conversa informal com jornalistas ontem em Nova York - o chamado "quebra queixo" na saída de um dos eventos da sua agenda -, Meirelles afirmou que não opina sobre juros, quando indagado sobre o que esperar da taxa Selic.

"Quando eu estava no Banco Central, eu sempre defendi a autonomia", disse o ministro.

Todavia, a suposta declaração de "altamente provável" a queda da Selic em dezembro foi feita numa entrevista exclusiva à Bloomberg, segundo a assessoria do Ministério da Fazenda, e não no "quebra queixo" quando o ministro refutou peremptoriamente, como é seu hábito, comentar os próximos passos da política monetária. A assessoria de imprensa não entrou no mérito da suposta declaração à Bloomberg.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.