Ministério da Previdência discute saída para reajuste do INSS

Projeto em votação na Câmara propõe reajustar benefício pelo mesmo índice aplicado ao salário mínimo

LEONENCIO NOSSA E ISABEL SOBRAL, Agencia Estado

06 de novembro de 2009 | 14h45

O ministro da Previdência Social, José Pimentel, se reuniu nesta sexta-feira, 6, no Centro Cultural Banco do Brasil, com o chefe de gabinete da Previdência, Gilberto Carvalho e com o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, para definir um caminho político alternativo de reajuste do valor dos benefícios previdenciários de valores acima do salário mínimo.

 

Veja também:

linkAlencar pede responsabilidade em valor de aposentadoria

Segundo assessores da Presidência da República, existe a possibilidade de o assunto ser discutido ainda nesta sexta-feira entre o ministro Pimentel e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O encontro estava agendado para a manhã desta sexta, mas acabou não acontecendo. Mas existe também a expectativa de que essa discussão ocorra somente na segunda-feira, em São Paulo.

O governo tenta encontrar uma saída para evitar a votação do projeto, que tramita na Câmara, e que propõe o reajuste dos benefícios previdenciários pelo mesmo porcentual de correção aplicado ao salário mínimo, o que implicaria em um aumento de gastos de R$ 6,9 bilhões no próximo ano.

O governo conseguiu barrar a votação da proposta na Câmara na última quarta-feira. Como era o segundo item da pauta, a votação do projeto foi adiada, porque dependia da apreciação da Medida Provisória 466, que trata de energia elétrica nos sistemas isolados. Para a próxima semana, o presidente da Câmara, Michel Temer pretende dar prioridade à votação das propostas que regulamentam a exploração do petróleo na camada pré-sal, adiando assim, mais uma vez, a discussão do reajuste das aposentadorias e pensões de valores acima do mínimo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.