Ministério descarta possível caso de Newcastle no Pará

O ministério da Agricultura concluiu que não é Newcastle a doença investigada em granja do Pará. Testes de laboratório descartaram a ocorrência da doença. O ministério deve divulgar ainda hoje uma nota desmentindo a ocorrência em granja localizada a 50 quilômetros de Belém, no Pará.Um foco de Newcastle foi confirmado no início de julho em uma pequena propriedade localizada no município de Vale Real, no Rio Grande do Sul. As informações são que existem seis aves na fazenda suspeita. A propriedade está interditada. Newcastle é uma doença virótica altamente letal e que só é transmitida de ave para ave, sem risco ao homem. Embargo A Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura informou no final da tarde da última quarta-feira que mais seis países suspenderam as compras de frango produzido no Rio Grande do Sul. O embargo é uma resposta ao foco da doença diagnosticado em granja de subsistência localizada no Rio Grande do Sul.A suspensão foi determinada por acordos sanitários fechados pelo Brasil com esses países. A África do Sul suspendeu a compra de frango produzido num raio de 50 quilômetros a partir do foco e Cuba barrou as importações de produto produzido num raio de 20 quilômetros a partir do foco. Canadá, Coréia do Sul, Hong Kong e Suíça suspenderam as importações de carne de frango produzida a 10 quilômetros do foco.Na terça, outros três países suspenderam as importações de carne de frango do Estado. São eles: Bielo-Rússia, Ucrânia e Marrocos. Com isso, mais de 50 países já impuseram algum tipo de restrição ao frango produzido no Rio Grande do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.