Ministério fica atento à queda de 6% em preço do minério

A queda de mais de 6% no preço do minério de ferro no mês passado é motivo de atenção para o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, segundo a secretária de Comércio Exterior do MDIC, Tatiana Prazeres. Apesar da baixa, no acumulado do primeiro semestre do ano, os dados para a commodity ainda são positivos.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

01 de julho de 2013 | 17h52

Conforme o MDIC, as exportações brasileiras do produto registraram um aumento de 2,3% em valor nos primeiros seis meses do ano, na comparação com o mesmo intervalo de 2012.

Tatiana citou que a queda de preços das commodities afeta itens importantes, como o minério de ferro, mas a desvalorização do real serve de contraponto a essa baixa, em função de garantir maior rentabilidade às exportações. "É difícil quantificar cada um dos fatores", comentou.

A secretária também disse ser difícil quantificar o impacto da variação cambial para o comércio exterior. Ela lembrou que é necessário um tempo para que a desvalorização surta efeito nas exportações e que, em geral, esse tempo é de seis meses.

"O que é importante é que haja estabilidade, até para o exportador. É importante que haja um mínimo de segurança", ressaltou. A alta do dólar, conforme a secretária, num primeiro momento, tem efeito sobre a rentabilidade das operações já contratadas e, em um segundo momento, é um incentivo ao aumento das vendas. Em contrapartida, afirmou Tatiana, a alta do dólar tende a registrar um efeito maior nas compras de bens de consumo duráveis. "O consumidor é mais sensível à variação de preços."

Tudo o que sabemos sobre:
balança comercialjunhocomentários

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.