Ministério forma grupos para desenvolver carro elétrico

O ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, acredita que o Brasil pode, no futuro, ter uma indústria nacional de veículos elétricos. Para isso, o ministério está mobilizando universidades, centros de pesquisa, empresas de motores elétricos, de baterias e a Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e promoverá uma reunião entre os interessados.

ADRIANA CHIARINI, Agencia Estado

20 de maio de 2009 | 19h34

"Estamos formando uma rede para trabalhar no veículo elétrico", disse Rezende, em entrevista após palestra no XXI Fórum Nacional, no Rio. De acordo com Rezende, atualmente nenhum país do mundo é competitivo nessa área, mas é uma tecnologia que, quando um a alcança, todos podem também atingi-la. "Temos condições de ter uma indústria nacional de veículos elétricos", disse.

Rezende observou que o Brasil possui indústrias nacionais de motores elétricos e de ônibus, além de pesquisadores. No Fórum, ele exibiu fotos de ônibus elétricos experimentais em centros de pesquisa brasileiros. O País também produz baterias. Os esforços do ministro são para estimular o setor privado a, no futuro, produzir os veículos elétricos. "Não é o caso de criar uma empresa estatal", disse. Na apresentação no Fórum, Rezende citou vantagens e desvantagens dos veículos elétricos. Uma das principais vantagens é a de não emitir gases do efeito estufa. Entre as desvantagens, destaca-se o custo e peso altos da bateria para maior autonomia.

Tudo o que sabemos sobre:
montadorasveículos elétricos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.