Ministério libera importação de frutas do Chile

Depois de três meses de embargo, o Ministério da Agricultura liberou ontem a importação de frutas do Chile. Em Instrução Normativa publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União, o governo estabelece as exigências sanitárias para importação. As importações foram suspensas devido à presença de um tipo de ácaro (brevipalpus chilensis) nos carregamentos. Desde a suspensão, foram realizadas três reuniões com o governo chileno e uma auditoria pelos técnicos do ministério, que, então, definiram critérios baseados em análise de risco para a importação. Ficou acordado, ainda, que, na safra 2009/10, o Chile colocará em prática o Sistema para Manejo de Riscos de Pragas, responsável pela realização de controle sanitário durante o cultivo.O diretor do Departamento de Sanidade Vegetal, da Secretaria de Defesa Agropecuária, José Geraldo Baldini, explicou o motivo da medida. "A nossa prioridade é garantir a segurança fitossanitária para a fruticultura brasileira, que, a cada dia, abrange um número maior de mercados", comentou.O Brasil suspendeu a importação de frutas in natura do Chile, como ameixa, amora, cereja, damasco, figo, framboesa, groselha, kiwi, maçã, pêssego e uva, depois que a Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) detectou, por meio de análises laboratoriais, a presença da praga nos carregamentos de frutas destinados ao mercado nacional. O ácaro Brevipalpus chilensis não existe no País. As informações são da assessoria de imprensa do ministério.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.