Ministério pretende lançar política de eficiência energética até outubro de 2010

Programa vai envolver ações que já estão em curso no País, como o selo Procel de certificação da linha branca e o estímulo a motores mais eficientes

Wellington Bahnemann, da Agência Estado,

20 de setembro de 2010 | 17h34

O Ministério de Minas e Energia (MME) pretende lançar até outubro deste ano uma política nacional de eficiência energética, revelou o ministro Márcio Zimmermann. "Esse programa vai envolver ações que já estão em curso há muito tempo no País, como o selo Procel de certificação da linha branca e o estímulo a motores mais eficientes", afirmou Zimmermann, sem entrar em maiores detalhes sobre as metas do novo programa e nem quais serão as novas ações a serem adotadas.

O ministro lembrou que o governo federal já trabalha com uma meta de estimular a redução de 10% no consumo de energia do País até 2030, conforme está previsto no Plano Nacional de Energia (PNE) 2030, elaborado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE). "Se não fosse isso, teríamos que expandir a capacidade instalada do parque gerador para 250 mil MW, e não para 230 mil MW, como está previsto", explicou Zimmermann, ressaltando a importância da eficiência energética.

O novo programa, porém, não prevê a realização de leilões de eficiência energética, com vistas a estimular a redução da demanda entre os consumidores. Segundo o presidente da EPE, Maurício Tolmasquim, o tema ainda carece de maiores estudos para ser adotado pelo governo. "A ideia é boa, mas o problema é como medir essa eficiência. Isso porque o leilão irá resultar no adiamento da construção de uma usina. Portanto, é preciso criar mecanismos que meçam a perenidade da redução do consumo", disse o executivo, que, como Zimmermann, participou do evento Exame Fórum de Energia, na capital paulista.

Tudo o que sabemos sobre:
Zimmermannenergiaolmasquim

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.