Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Ministério quer planejar expansão de canaviais

O Ministério da Agricultura deve concluir nos próximos meses o zoneamento agroecológico do setor sucroalcooleiro. O objetivo é definir áreas disponíveis ou não para a expansão dos canaviais, afirma o diretor do departamento de açúcar e álcool do ministério, Angelo Bressan. Além da questão ambiental, o trabalho vai calcular a produtividade de cada área.Com base em dados de produtividade disponíveis, diz, já se sabe que é melhor produzir cana no centro-sul. O executivo argumenta, porém, que a descentralização do setor verificada nos últimos meses é muito bem-vinda.Ele afirma que vários Estados e áreas de pouca tradição na cultura da cana-de-açúcar estão desenvolvendo projetos de produção de açúcar e álcool. Bressan destaca o sul do Maranhão e algumas áreas da Bahia. Ele cita o projeto da Agrovale, com plantação de cana no semi-árido, com elevados investimentos em irrigação.Segundo ele, o governo está preparando outras medidas para o setor. Entre elas, uma regulamentação. Ele argumenta que até 2004 pouco se falava em etanol no mundo. Mas, com a alta do preço do petróleo e as preocupações com o meio ambiente, o mundo voltou-se para o combustível. "Foi aí que começaram a surgir dúvidas de como ter um modelo sustentável e exeqüível."Segundo Bressan, isso só se consegue criando uma imagem positiva para o produto. "Nesse sentido, é preciso criar regras que disciplinem o setor. Mas isso leva tempo." O argumento do diretor é o de que, quando se mexe com o mercado de combustível, o mais importante é a garantia de abastecimento.No mercado, no entanto, a possibilidade de uma regulamentação para o setor provoca calafrios. Os empresários temem que o governo estabeleça regras que prejudiquem o excelente momento do setor de bioenergia.

O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2016 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.