Ministério vê fragilidade no transporte de dados da Petrobras

O Ministério da Justiçaconstatou "fragilidade" no transporte de dados pela Petrobras edeterminou que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin)trabalhe com a Polícia Federal na investigação sobre o roubo deinformações sigilosas da estatal. De acordo com nota do Ministério da Justiça divulgada nestasegunda-feira, a colaboração entre Abin e PF se faz necessáriadevido à importância do evento. "As investigações já estão em andamento e,independentemente da motivação do crime, elas revestem-se deimportância em função da possível fragilidade do sistema desegurança para o transporte de informações reservadas que oepisódio evidenciou", afirmou o ministério em nota. Os interrogatórios começaram a ser feitos pela PolíciaFederal nesta segunda-feira. Uma coletiva de imprensa serárealizada na terça-feira pelo Superintendente da PolíciaFederal no Estado do Rio de Janeiro, delegado Valdinho JacintoCaetano. A PF antecipou, no entanto, que ainda não há novidadessobre o caso. Além da colaboração entre os dois órgãos, ficou decididoque a PF designaria um responsável para informar a imprensasobre o andamento das investigações, "nos precisos limites emque tais elementos não prejudiquem as investigações e mantenhaminformada a sociedade brasileira", disse a nota. (Reportagem de Denise Luna; Edição de Mair Pena Neto)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.