Ministra admite falhas no sistema do Société Générale

Fraude provocou rombo de 4,9 bilhões ao banco francês

EFE, O Estadao de S.Paulo

04 de fevereiro de 2008 | 00h00

A ministra de Economia e Finanças francesa, Christine Lagarde, disse ontem na capital francesa que existem falhas no sistema de controle interno do Banco Société Générale, que não detectou a suposta fraude sofrida pela instituição, que lhe custou 4,9 bilhões.O Société Générale, que não quis comentar o relatório, disse que a declaração da ministra "não põe em questão" o sistema de gestão de riscos de mercado, e afirmou que as medidas que poderiam detectar e prevenir a fraude já foram postas em prática ou serão tomadas em breve."Alguns mecanismos de controles internos do Société Générale não funcionaram, e os que funcionaram nem sempre seguiram as modificações apropriadas", declarou Lagarde ao apresentar o relatório sobre a fraude ao primeiro-ministro francês, François Fillon.Em um comunicado, o Departamento de Economia disse que o relatório "identifica vários pontos suscetíveis de terem sido determinantes" na questão dos controles internos e que o banco atribui a um de seus operadores de mercado, Jérôme Kerviel, o fato de ter tomado atitudes desmedidas e de risco superior ao permitido.Lagarde constatou que alguns instrumentos de controle lançaram advertências sobre a atividade de Kerviel, mas o aviso não foi levado em consideração pelos responsáveis da instituição bancária.CULPADOSA ministra disse que a cessão das posições assumidas irregularmente por Kerviel, entre 21 e 23 de janeiro, que totalizam aproximadamente 50 bilhões, não podem ser imputadas ao Société Générale.Essas cessões, afirmou, foram feitas "profissionalmente, em condições de mercado difíceis", e essas condições foram as que fizeram com que as perdas se elevassem a até 4,9 bilhões.Com seu relatório, Lagarde destacou que não queria indicar culpados ou responsáveis, já que o caso é objeto de apreciação judicial e de investigação da Autoridade dos Mercados Financeiros e da Comissão Bancária.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.