Ministra garante que programa de energia não encarece conta

A ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, disse hoje, no lançamento no programa Luz para Todos, que a utilização de recursos públicos para promover a universalização da distribuição de energia elétrica no País evitará repasses para as contas de luz. Isso poderia acontecer, segundo ela, se essa universalização fosse feita apenas com recursos das distribuidoras. Ela afirmou ainda que o objetivo do programa é utilizar a energia elétrica como instrumento para o desenvolvimento econômico das comunidades e para redução da pobreza e da fome.A ministra apontou a Região Nordeste como o local de maior concentração de pessoas que ainda não dispõem de eletricidade. Ela destacou também, como regiões críticas, o Norte do País; o Pontal do Paranapanema, em São Paulo; o Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais; e a metade sul do Rio Grande do Sul. Público-alvoEla disse que a prioridade do governo com o programa Luz para Todos é atender comunidades atingidas por barragens de usinas hidrelétricas, assentamentos rurais, municípios com baixo índice de atendimento de energia elétrica e baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), escolas públicas, postos de saúde, postos de abastecimento de água e projetos de eletrificação rural, com enfoque para o uso produtivo da energia. Segundo ela, será criado um Conselho Nacional de Universalização, integrado por vários ministérios, pelo BNDES e pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.