Ministra nega necessidade de pacote de ajuda à Espanha

Vários países da zona do euro estão sob "ataque sistêmico" contra suas dívidas, mas a Espanha não corre o risco de necessitar de um pacote de ajuda de seus colegas da União Europeia, afirmou hoje a ministra das Finanças, Elena Salgado.

GABRIEL BUENO, Agencia Estado

17 de novembro de 2011 | 12h38

Falando em entrevista a uma rádio, Elena disse que a sustentabilidade da Espanha está fora de dúvida, apesar do recente aumento nos custos para empréstimos pelo país. Segundo ela, as condições do mercado melhorarão quando as recentes mudanças para fortalecer a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) forem implementadas.

O mercado de dívida da zona do euro ignorou os renovados esforços do Banco Central Europeu (BCE) para apoiar os bônus dos governos italianos e espanhóis. Hoje, a Espanha foi forçada a pagar yields (retornos ao investidor) recordes desde o início da era do euro em um leilão de bônus do governo.

O Tesouro da Espanha realizou hoje um leilão de bônus de 10 anos no qual vendeu 3,563 bilhões de euros. O yield máximo pago foi de 7,088%, o maior nível desde a introdução do euro. O resultado ocorre a três dias de o país realizar eleições gerais, no domingo.

Grécia, Portugal e Irlanda perderam acesso ao financiamento do mercado e precisaram buscar pacotes de ajuda após serem forçados a pagar yields de mais de 7% em leilões de seus bônus de 10 anos. A Espanha pagou yield médio de 6,975% hoje. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
criseEspanhaajudaministra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.