finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Ministra satisfeita com leilão de linhas de transmissão

A ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, comemorou há pouco o resultado do leilão de linhas de transmissão realizado hoje. "Acho que o leilão demonstrou que todas as preocupações e as propostas do governo estão tendo uma grande receptividade por parte dos investidores." Segundo ela, o leilão foi competitivo, transparente e resultou em preços mais baixos para o consumidor na medida em que houve um deságio de 35%, que reflete uma grande competição por alguns trechos.Dilma notou que as empresas públicas compraram um terço da receita permitida, ficando o restante com empresas privadas ou consórcios entre o setor público e o privado, numa espécie de parceria público-privada. "Isso foi muito bom porque permite uma grande mobilização de recursos, na medida em que o setor privado comparece e participa."De acordo com a ministra, que está em São Paulo para participar da solenidade de entrega do prêmio "As melhores da Dinheiro", o grande beneficiário é o consumidor, porque o leilão resulta numa tarifa menor de transmissão. O deságio obtido no leilão desta quinta-feira corresponde à construção de 2 mil kilômetros de linhas de transmissão, disse. "Foi muito bom para o País e muito atrativo para o consumidor, demonstrando que é possível, com seriedade, atingir as duas questões: baixar tarifa e atrair investimentos". A ministra disse ter certeza de que o leilão de geração será mais atrativo que o leilão de linhas de transmissão. "O leilão de geração nova será extremamente concorrido, muito disputado", por causa da longa "vida útil econômica", até maior que o prazo previsto de 35 anos para a concessão".

Agencia Estado,

30 de setembro de 2004 | 21h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.