Divulgação
Divulgação

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Ministro anuncia reforço de abastecimento de energia para o Sudeste

Medidas somam 1,5 mil MW ao sistema elétrico; Eduardo Braga conta com a chuva para normalizar situação dos reservatórios: 'Deus é brasileiro', disse

Anne Warth e Eduardo Rodrigues, O Estado de S. Paulo

20 de janeiro de 2015 | 20h39

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, anunciou nesta terça-feira, 20, uma série de medidas com o objetivo principal de reforçar a oferta de energia na Região Sudeste. Serão somados ao sistema mais de 1,5 mil megawatts (MW), a partir de ações preparadas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O ministro destacou que o sistema está preparado para atender a picos de demanda de energia em todas as regiões do País.

Apesar de repetir várias vezes que o sistema elétrico brasileiro é "robusto", o ministro de Minas e Energia admitiu que o modelo energético nacional precisa de ajustes e disse ainda contar com a ajuda de Deus para a normalização da geração de eletricidade no País. "Deus é brasileiro e temos que contar que ele vai trazer um pouco de umidade e chuva", disse Braga, repetindo o ex-ministro Edison Lobão, que, no ano passado, disse que o País não passaria por um racionamento de energia "com a graça de Deus".


O ministro também culpou os atrasos em obras de geração e transmissão - sobretudo nos processos de licenciamento ambiental - e destacou que o Ministério de Minas e Energia, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e a Eletrobras estão debruçados sobre os cronogramas desses empreendimentos. Braga citou especialmente as grandes usinas em construção na Região Norte do País. "Se Belo Monte, Jirau e Santo Antônio já estivessem funcionando dentro do cronograma nada disso estaria acontecendo", alfinetou.

Entre as medidas anunciadas hoje está o reforço na produção e transferência de 300 MW de energia da usina de Itaipu para o sistema. Braga disse ainda que a abertura da ligação entre as regiões Nordeste e Sudeste/Centro-Oeste vai adicionar 400 MW ao sistema. A ressincronização da usina de Angra 1 vai proporcionar um adicional entre 100 MW e 200 MW. Braga também explicou que uma parte do parque de usinas térmicas da Petrobrás vai voltar a produzir energia após um período de manutenção preventiva. Essas usinas começam a retomar a produção a partir de 20 de janeiro até 18 de fevereiro e vão adicionar 867 MW ao sistema.

Tudo o que sabemos sobre:
apagaoeduardo braga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.