bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Ministro apresentará em um mês nova política industrial a Lula

A nova política vai estimular a inovação e terá instrumentos tributários e financeiros, informou Jorge

Adriana Chiarini, do Estadão,

01 de outubro de 2007 | 20h37

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, disse nesta segunda-feira, 1º, que espera apresentar o projeto da nova fase da política industrial ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva em aproximadamente um mês.  Ao lado de Miguel Jorge durante entrevista concedida no Hotel Copacabana Palace, onde será realizada a cerimônia de comemoração dos 180 anos do Jornal do Commercio, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho informou que o governo pretende "usar o bom momento do mercado de capitais para ajudar a financiar as empresas". A nova política vai estimular a inovação e terá instrumentos tributários e financeiros, informou Jorge. "Vamos fazer uma melhor coordenação de múltiplos instrumentos, como os países desenvolvidos fazem", disse Coutinho. Miguel Jorge observou que se busca "ampliar o que já estava previsto na política industrial em 2003".  De acordo com ele, a política "já deu resultados e vemos que é preciso aprofundar esforços para inovação e tecnologia e usar também o poder de compra". Ele citou que o poder de compra do governo pode ser usado, por exemplo, nos setores de engenharia naval, material de saúde e defesa. Segundo o ministro e o presidente do BNDES, o que está faltando para concluir os trabalhos do projeto da política industrial é tempo. Jorge mencionou também que é importante cuidar da regionalização para desconcentrar a produção.  Ele deixou claro que o governo não quer forçar o início de atividades onde elas não existem. "Vamos procurar as possibilidades que já estão presentes em cada região e desenvolver essas atividades", ilustrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.