Ministro argelino diz que país apoia redução de petróleo

O ministro argelino de Energia, Chakib Jelil, confirmou neste domingo que a Argélia está disposta a sustentar uma nova redução da produção da Opep, que vem sendo objeto de consultas entre os membros do cartel. "Já decidimos reduzir em 500 mil barris diários nossa produção a partir de 1º de fevereiro, mas se é preciso ir mais além, é evidente que tal medida será apoiada por nós", disse o ministro.O comentário de Jelil coincide com as declarações feitas em Caracas pelos presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, no sentido de reivindicar uma nova redução da produção da organização petrolífera.No final desta semana, o barril de petróleo da Opep fechou cotado a US$ 49,13. Foi a primeira vez desde novembro de 2005 que o barril fechou abaixo dos US$ 50.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.