Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Ministro britânico não espera acordo da reunião do G20 no Rio

O ministro de Indústria e Comércio do Reino Unido, Alistair Darling, disse nesta quarta-feira não esperar que a reunião do G20, que acontece no próximo domingo no Rio, chegue a um acordo para a retomada da Rodada Doha da Organização Mundial do Comercio (OMC). Mas disse ter a expectativa de que o encontro abra caminhos para que se chegue a uma solução para o impasse das negociações na OMC o mais rápido possível.Além dos países do G20, grupo de emergentes que defende propostas semelhantes na Rodada Doha, a reunião do Rio deve ter a presença da representante comercial dos Estados Unidos, Susan Schwab, do comissário de comércio da União Européia, Peter Mandelson, e do diretor Geral da OMC, Pascal Lamy. O ministro Britânico sugeriu às partes envolvidas que primem não pelo sucesso da Rodada Doha, mas pelas conseqüências que um possível fracasso das negociações multilaterais teria sobre a economia global. As negociações da Rodada Doha foram suspensas há algumas semanas por conta de um impasse na questão de subsídios aos produtores rurais nos países avançados.Darling e o ministro Luiz Fernando Furlan divulgaram na terça-feira em Brasília um comunicado conjunto que estabelece as bases para elevar os fluxos de comércio e investimento entre o Reino Unido e o Brasil. O comunicado recomenda o aprofundamento da cooperação bilateral em ciência e inovação, particularmente nos campos da biociência e da nanotecnologia; elevar a colaboração em setores estratégicos principalmente o aeroespacial, os serviços financeiros e a indústria da saúde; e estabelecer parcerias de comércio e investimento na área de energias renováveis, sobretudo o etanol.Darling reuniu-se nesta quarta com empresários em São Paulo para divulgar ao setor privado as ações definidas no comunicado assinado na terça. O acordo firmado em Brasília levará a criação do Comitê de Comércio Conjunto Brasil-Reino Unido. O entendimento entre os dois países estabelece que serão realizadas reuniões anuais bilaterais com objetivo de mapear oportunidades, desafios e dificuldades nas relações entre eles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.