Ministro confirma idéia de queda da parcela de álcool à gasolina

O ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau, confirmou hoje que uma das alternativas em estudo pelo governo para conter aumentos nos preços do álcool é a redução de 25% para 20% na mistura do produto à gasolina. "É uma das alternativas em que estamos trabalhando, mas tudo passa por um entendimento do governo com os produtores (de álcool)", disse. Segundo ele, a redução pode ser adotada se for benéfica para o consumidor, mas sem "atropelar o mercado, que é livre".Apesar disso, o ministro disse que não há motivo para a elevação do preço do álcool combustível neste momento. "Estamos absolutamente dentro de um ciclo, na entressafra. A moagem deve começar entre abril e maio. Então, tem como administrar o estoque de reserva." Ele negou que o governo esteja estudando a possibilidade de confiscar os estoques dos produtores privados e também disse que não está sendo cogitada a importação de álcool dos Estados Unidos.O ministro adiantou que poderá haver uma reunião, em Brasília, entre representantes do governo e dos produtores de álcool na segunda-feira ou na terça-feira da próxima semana. Ele disse estar confiante em que os produtores serão sensíveis e será possível chegar a um entendimento. Não revelou, no entanto, quais serão os argumentos do governo na negociação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.