Ministro critica aumento nos planos de saúde

O Ministro da Saúde, José Serra, acha alto o reajuste médio de 12% reivindicado pelos planos de saúde. Nada subiu 12%, argumentou o ministro. Esse porcentual corresponde à média dos pedidos de reajustes feitos à Agência Nacional de Saúde Suplementar. Até agora, foram feitas solicitações de 400 planos de saúde. Os aumentos pedidos variam de 1,94% a 373%. Para chegar a um reajuste justo, os cálculos seguirão a fórmula discutida em conjunto com a Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae). Serra já assinou com o ministro da Fazenda, Pedro Malan, uma portaria com orientação da metodologia para análise e correção dos planos. Segundo o ministro, entre as orientações, não há um porcentual predefinido nem planilhas. Contra os abusos Até agora, a ANS não autorizou aumento de preços. Na terça-feira foi aberto um processo contra a Unimed de Curitiba. A Agência vai investigar a denúncia de que a empresa estaria enviando ofício aos associados informando que a mensalidade subiria 13,74%.Os planos coletivos e empresariais estão fora da alçada da ANS, e seus aumentos ficarão a critério das partes envolvidas. Quem possuir planos individuais e familiares e desconfiar do reajuste do seu plano pode tirar dúvidas pelo telefone 0800-6111997.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.