Gustavo Raniere / Ministério da Fazenda
Gustavo Raniere / Ministério da Fazenda

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Ministro da Fazenda admite que governo pode revisar PIB para baixo

Previsões do governo apontam crescimento de 2,5% do PIB em 2018, mas Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira apontou que mercado estima avanço inferior a 2%

Eduardo Laguna e Francisco Carlos de Assis, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2018 | 17h06

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, admitiu nesta segunda-feira, 11, que o governo poderá rever para baixo a previsão oficial sobre o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano. Ele observou, porém, que essas previsões são reavaliadas a cada dois meses na programação orçamentária e que não faria revisões a cada semana.

+ PIB do País pode ficar patinando em 1,3%

As previsões do governo apontam a um crescimento de 2,5% do PIB em 2018, mas o boletim Focus divulgado nesta segunda-feira, mostrou que o mercado já vê um avanço inferior a 2%.

Após participar de um seminário promovido pelo Goldman Sachs, Guardia reconheceu que, "sem dúvida", a greve dos caminhoneiros trouxe prejuízos ao País, mas avaliou que vê como "exageradas" algumas estimativas sobre o impacto da paralisação no transporte de carga.

+ Mercado vê PIB abaixo de 2% inflação maior para 2018

Lembrou ainda que os economistas já vinham observando perda de ritmo da economia antes da greve. Segundo o ministro, a paralisação deve ter impacto temporário na atividade econômica.

"Revemos a previsão a cada dois meses, quando divulgamos a programação orçamentária. Então, vamos continuar fazendo isso. Quando fazemos as revisões orçamentárias do ano, sempre saímos com uma nova grade de parâmetros. Esse processo de revisão é contínuo", comentou Guardia.

"Pode ser uma revisão para baixo", acrescentou o ministro ao ser questionado se, na próxima reavaliação do orçamento, o governo poderá reduzir a previsão ao PIB.

"Vamos esperar a próxima revisão e divulgar os números. O que não quero é a cada semana sair com projeções diferentes para crescimento".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.