Ministro da Indústria e Comércio Exterior diz já ter entregue sua carta de demissão ao governo

Mauro Borges negou que tenha ocorrido um pedido de antecipação na entrega dos pedidos; saída ocorre um dia após Marta Suplicy pedir demissão do Ministério da Cultura

Laís Alegretti, O Estado de S. Paulo

12 de novembro de 2014 | 13h45

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges, afirmou que entregou ontem sua carta de demissão ao Palácio do Planalto. Borges negou que tenha ocorrido um pedido de antecipação na entrega dos pedidos. "Esse é um procedimento natural de um governo de transição. É natural que os ministros deixem a presidenta à vontade para montar o seu ministério para o segundo mandato. Isso é parte da democracia e considero isso um fato altamente positivo", disse. 

Borges afirmou que os ministros se comunicam entre si, mas negou qualquer precipitação nesse processo. "Tem uma visão geral de todos os ministros de que é momento adequado. Estamos no calendário da transição. Existe comunicação entre os ministros, com o próprio ministro (chefe da Casa Civil), Mercadante, mas esse é procedimento usual", disse. Questionado sobre os planos para quando deixar o ministério, Borges disse que o seu retorno natural é voltar à atividade de professor e pesquisador na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 

O Broadcast - serviço de informações em tempo real da Agência Estado - informou que, na tentativa de neutralizar a saída de Marta Suplicy do Ministério da Cultura, o chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, pediu a todos os ministros que entreguem suas cartas de demissão até a próxima terça-feira (18), quando a presidente Dilma Rousseff retornará de sua viagem à Austrália.

A ideia inicial era que a entrega dos cargos à presidente ocorresse de forma conjunta, no próprio dia 18, como forma de indicar que a equipe deixava a presidente à vontade para compor um novo time no segundo mandato. A atitude de Marta, porém, surpreendeu o Palácio do Planalto e obrigou o governo a antecipar o processo de saída coletiva. 

Tudo o que sabemos sobre:
Mauro Borgesministrocomércio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.