Ministro da Itália diz não estar preocupado com atraso do ESM

O ministro das Finanças da Itália, Vittorio Grilli, minimizou nesta quarta-feira as preocupações de que o fundo de resgate permanente da União Europeia (UE) não entrará em operação imediatamente devido a atrasos para sua aprovação em Estados-membros.

Reuters

20 de julho de 2012 | 13h29

A implementação do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (ESM, na sigla em inglês) tem sido atrasada por um processo complicado de aprovação em vários países, incluindo a Alemanha, onde a Corte Constitucional não decidirá sobre o assunto até setembro.

"Eu não acredito que há causa para alarme devido aos atrasos para discussões ou nas cortes", disse Grilli a uma comissão parlamentar. "O fato de o ESM não entrar em operação a partir de julho não deve ser uma preocupação porque há o EFSF", completou ele, referindo-se ao fundo de resgate temporário do bloco, o Fundo Europeu de Estabilização Financeira.

(Reportagem de Giuseppe Fonte)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROITALIAESM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.