Ministro das Comunicações quer baratear minuto de celular

Queda do preço das ligações deve começar com a redução do ICMS, afirma Hélio Costa

Gerusa Marques, Agência Estado

16 de dezembro de 2009 | 13h19

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, disse nesta quarta-feira que o preço do minuto da telefonia celular no Brasil "tem de começar a cair" e que essa queda se inicia com a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), cobrado pelos governos estaduais sobre os serviços, cuja alíquota é de 35%, em média. "Os Estados têm que ver a telefonia não como a galinha dos ovos de ouro, porque senão você mata a galinha", afirmou, durante audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado.

 

Ele lembrou que a telefonia celular cresceu muito nos últimos anos e que já alcançou 170 milhões de clientes em todo o País, aumentando consequentemente a arrecadação dos Estados. Segundo o ministro, a arrecadação não precisaria crescer na mesma proporção do mercado de telefonia. Depois da audiência, Costa disse que o trabalho para reduzir a cobrança do ICMS sobre a telefonia tem que ter a liderança do governo federal. Essa discussão, segundo ele, pode se estender também para a banda larga.

O ministro defendeu ainda a redução da taxa de interconexão, cobrada para encaminhar uma chamada telefônica entre redes de duas operadoras distintas. "Além dos impostos, tem que baixar a taxa de interconexão, que traz um aumento significativo para os preços das ligações", afirmou. Segundo ele, essa taxa é a grande vilã do setor e para encontrar uma solução as empresas têm que conversar e se entender.

Tudo o que sabemos sobre:
telefoniacelularHélio Costa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.