Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Ministro defende substituição de fator previdenciário

O ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, afirmou hoje que não é possível simplesmente acabar com o fator previdenciário utilizado no cálculo das aposentadorias. Para ele, é preciso encontrar um mecanismo para substituir o modelo atual, porque apenas a eliminação do fator iria desregular as contas da Previdência.

EDUARDO BRESCIANI, Agencia Estado

23 de fevereiro de 2011 | 12h58

"O fator não pode ser eliminado simplesmente. Tem que se encontrar uma alternativa. Uma que é mais lembrada sempre é a da idade mínima, mas não sei se é a solução ideal. Temos que ter uma solução que seja menos ruim para o aposentado", afirmou.

Garibaldi acompanhou parte da sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado onde estava prevista a votação de um projeto que cria cargos e funções comissionadas no ministério. Houve, porém, pedido de vista da oposição. O ministro afirmou que o projeto é importante para equipar 720 agências a serem abertas nos próximos dois anos em pequenos municípios do País.

Durante a discussão do tema, o ex-ministro e senador José Pimentel (PT-CE) chegou a dizer que a oposição estava "prejudicando o povo mais pobre" ao impedir a votação imediata do projeto. A declaração provocou indignação dos senadores de DEM e PSDB. Demóstenes Torres (DEM-GO) ironizou as declarações do petista dizendo que votaria a favor do projeto se o governo aprovasse um salário mínimo maior na votação prevista para hoje. "Isso sim ajudaria os pobres", rebateu o oposicionista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.