bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Ministro diz à Standard & Poor's que crise política deve ter fôlego curto

Lupa. Representantes da agência de classificação de risco que vão decidir se rebaixam a nota de crédito brasileira, questionam governo sobre turbulência na base aliada, protestos populares e condução da economia em um eventual segundo mandato de Dilma

O Estado de S.Paulo

15 de março de 2014 | 03h01

O governo tem apresentado uma visão otimista sobre o cenário econômico e político para os integrantes da missão da agência de classificação de risco Standard & Poor's. Representantes da agência estão no Brasil conversando com analistas privados e membros do governo para decidir se mantém ou rebaixam a nota brasileira.

Além das questões ligadas à economia, os analistas da S&P perguntaram sobre outros assuntos, incluindo a turbulência política no Congresso, as perspectivas para as eleições e as manifestações populares.

Estado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.