Ministro diz que Varig só terá ajuda se mostrar eficiência

O ministro da Defesa, José Viegas, afirmou que o governo só vai ajudar a Varig se ela apresentar ?nitidez na solução empresarial? e demonstrar gestão eficiente. ?O governo não vai dar dinheiro a fundo perdido.?O ministro falou à imprensa nesta quarta-feira à noite depois de encontro de quase duas horas com o presidente do conselho da controladora da Varig, a Fundação Rubem Berta (FRB), Gilberto Rigoni, que defende a busca de outras alternativas para a recuperação da companhia além da já anunciada fusão da empresa com a concorrente TAM.Rigoni disse não ser contrário à fusão, mas ressaltou que a solução ideal seria as duas empresas aéreas continuarem funcionando separadamente. ?Não somos contra nada, mas o País tem perfeitas condições de abrigar mais de duas empresas aéreas. O cliente tem de ter escolha?, disse Rigoni. Já o ministro afirmou que ?o mercado está saturado?, ao comentar a suspensão de vôos que a Gol teria iniciado recentemente para Londrina. Rigoni disse estar preocupado com as pressões que a Varig tem sofrido e pediu uma solução democrática para a crise. ?Temos que pagar R$ 5 milhões de combustível todo dia à BR Distribuidora. Qual empresa vive assim? E temos R$ 18 milhões lá no Banco do Brasil, garantindo dívida que nem venceu ainda.? O ministro afirmou que a BR ?já aumentou sua exposição à Varig? e que o governo ?está fazendo o que pode? para ajudar a companhia aérea.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.