Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Ministro do Planejamento defende reforma da Previdência como vital para ajuste fiscal

Dyogo Oliveira ainda disse que 'não há pernas' hoje em Brasília para tocar duas reformas ao mesmo tempo, a tributária e a da Previdência

O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2017 | 11h35

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, defendeu nesta segunda-feira a reforma da Previdência como essencial para o ajuste fiscal no país, na trajetória da recuperação econômica.

“Não há nenhuma possibilidade de estabelecer equilíbrio fiscal no país sem enfrentar a reforma da Previdência”, disse ele durante apresentação em evento em São Paulo. “Ou enfrentamos isso, ou não teremos estabilização na área fiscal”, completou.

O ministro do Planejamento afirmou ainda que "não há pernas" nem condições operacionais hoje em Brasília para tocar duas reformas ao mesmo tempo, a tributária e a da Previdência. "A reforma mais urgente é a da Previdência. A tributária é o passo seguinte", disse a jornalistas após fazer palestra em evento na Fundação Getulio Vargas (FGV).

"Reforma da previdência e tributária é a sequência para revigorar o crescimento", disse na palestra. Após a apresentação na FGV, na parte de perguntas e respostas da plateia, o ministro foi questionado sobre se haverá necessidade de nova alta de imposto, Dyogo ressaltou que o governo está trabalhando para a reforma tributária. "Falar em aumentar imposto na atual conjuntura é inviável", disse ele. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.