Ministro grego cobra rapidez em acordo para socorro

O ministro das Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos, afirmou hoje que o país precisa se mover rapidamente para implementar seu mais recente acordo de socorro de 130 bilhões de euros, em meio à crescente incerteza que atinge a zona do euro e os mercados financeiros. "Nós temos de nos mover rapidamente", afirmou Venizelos em comentários para o comitê de finanças do Parlamento da Grécia. "Qualquer atraso eleva o risco de as condições mudarem", acrescentou.

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

23 de novembro de 2011 | 11h15

As declarações do ministro ocorrem em um momento no qual o comitê continua a debater pelo segundo dia sobre o orçamento de 2012 da Grécia, cuja aprovação é vista como uma pré-condição para o país assegurar mais ajuda. Uma votação final parlamentar está marcada para o dia 7 de dezembro, somente dois dias antes de uma cúpula dos líderes europeus.

Venizelos disse que espera que o Parlamento aprove o orçamento com uma grande maioria de 80%, refletindo o apoio dos dois principais partidos políticos da Grécia - os socialistas e a oposição Nova Democracia, que concordou neste mês a formar um governo de coalizão.

O orçamento prevê a redução do déficit orçamentário da Grécia de 9% do Produto Interno Bruto (PIB) projetado neste ano para 6,7% do PIB no ano que vem, embora o país esteja entrando agora no seu quinto ano de recessão econômica. Em seus comentários, Venizelos reafirmou que a economia deverá ter contração de 2,8% em 2012 e que a recuperação começará em 2013. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciacriseajudaVenizelos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.