Ministro grego critica notícia sobre hipótese de calote

O ministro das Finanças da Grécia disse serem contraproducentes as informações distribuídas na mídia sugerindo que o país avalia um default (calote) programado, com perdas de 50% aos credores. Embora não tenha negado diretamente, Evangelos Venizelos reafirmou o compromisso da Grécia de atingir as metas de déficit e dar prosseguimento a uma agenda ambiciosa de reformas, como o prometido a seus parceiros europeus.

CYNTHIA DECLOEDT, Agencia Estado

23 de setembro de 2011 | 09h11

"Todas as outras discussões, rumores, comentários e cenários, que tirem a atenção do objetivo central e das obrigações políticas da Grécia, são um desserviço à nossa causa comum europeia", disse o ministro em nota.

O jornal Ta Nea publicou hoje que o ministro de Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos, disse a parlamentares do seu partido que o país enfrenta o risco de um default desordenado e que sugeriu um possível desconto de 50% na dívida do país. De acordo com o jornal Ta Nea, esse seria um dos três cenários apresentados por Venizelos aos parlamentares do Partido Socialista. Os demais seriam: o prosseguimento aos compromissos assumidos pela Europa na cúpula de 21 de julho, estendendo um novo pacote de ajuda aos gregos acompanhado do programa voluntário de troca da dívida; ou o calote desordenado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
crise da dívidaGréciacalote

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.