Ministro grego diz que novas medidas não são necessárias

O ministro de Finanças da Grécia, George Papaconstantinou, não descarta a adoção de medidas adicionais de austeridade fiscal, como o corte de salários e bônus no setor privado, a exemplo do que ocorreu no setor público. Mas acha que novas medidas de austeridade não serão necessárias, porque considera promissor o progresso da implementação do orçamento deste ano.

, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2010 | 00h00

A Grécia recebeu ontem 14,5 bilhões da União Europeia, correspondente à primeira parcela do pacote de ajuda acertado para o país. Na semana passada, o Fundo Monetário Internacional (FMI) já havia liberado 5,5 bilhões. / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.