Ministro grego nega que o país tenha perdido meta fiscal

O ministro das Finanças da Grécia, George Papaconstantinou, rebateu, neste domingo, reportagem divulgada na revista alemã Der Spiegel, dizendo que a União Europeia (UE), o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Central Europeu (BCE) dirão, na próxima semana, que a Grécia perdeu todas as metas fiscais.

NALU FERNANDES, Agencia Estado

29 de maio de 2011 | 10h08

Papaconstantinou classificou a notícia como "completamente distante da realidade", durante entrevista para uma TV local, no fim de semana, segundo transcrição fornecida por seu ministério.

O ministro, durante entrevista à Mega TV, acrescentou que a delegação da UE, BCE e FMI estava em Atenas para avaliar a possibilidade de a Grécia receber a quinta parcela (tranche) do pacote conjunto de socorro financeiro de 110 bilhões de euros, e estava confiante de que não haveria problemas com o desembolso.

"Nós temos todas as razões para acreditar que a conclusão será positiva para nosso país", Papaconstantinou disse à Mega TV, ontem. "Isto significa que temos todas razões para acreditar, exatamente porque o governo tem tomado as decisões que tomou, que receberemos o pagamento da próxima tranche."

A edição mais recente da Der Spiegel disse que o relatório da UE, BCE e FMI dirá que o déficit da Grécia está mais elevado do que o esperado, e a falha em cumprir os compromissos deve-se ao fato de que o país continuou a gastar mais do que havia sido acertado.

A lentidão da Grécia em efetuar as reformas significa que a União Europeia está questionando se paga a próxima tranche, citou o artigo, atribuindo a observação ao Comissário Europeu para Assuntos Econômicos, Olli Rehn. "Decidiremos sobre a próxima tranche depois do relatório", Rehn disse à revista, acrescentando que a "situação é muito séria". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciadívidacrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.