AFP/Eurokinissi
AFP/Eurokinissi

Ministro grego renuncia após jornal revelar que ele e a mulher recebiam auxílio moradia

À frente da equipe econômica do país, Dimitri Papadimitriou entregou o cargo após um jornal local revelar que a sua esposa e vice-ministra do Trabalho, recebia um auxílio mensal no valor de mil euros

AFP

27 Fevereiro 2018 | 10h58

O ministro grego da Economia, Dimitri Papadimitriou, renunciou nesta terça-feira, 27, um dia depois da demissão de sua mulher, vice-ministra do Trabalho, por ter solicitado e recebido auxílio-moradia apesar de serem ricos.

"O primeiro-ministro Alexis Tsipras aceitou a renúncia do ministro da Economia, Dimitri Papadimitriou", anunciou uma nota divulgada por seu gabinete nesta terça.

+ Relator de projeto do teto remuneratório recebe auxílio-moradia e tem imóvel

A vice-ministra do Trabalho Rania Antonopoulos se viu obrigada a entregar o cargo, ontem, após um jornal local revelar que ela obteve uma auxílio mensal para moradia no valor de mil euros, destinado a deputados e ministros - ou seja, um total de € 23 mil.

Rania Antonopoulos era ministra desde janeiro de 2015, e seu marido, desde novembro de 2016.

+ Supremo ignora ação que contesta auxílio a juízes

Ambos residiam, habitualmente, nos Estados Unidos e trabalhavam no Levy Economics Institute of Bard College, no estado de Nova York, presidido por Papadimitriou.

+ Ações garantem auxílio-moradia há 4 décadas no Judiciário

Em 2015, Rania Antonopoulos declarou uma carteira de ações de US$ 340 mil e uma renda anual de US$ 70 mil. Já Papadimitriou declarava US$ 2,7 milhões de dólares em ações e uma renda anual de US$ 450 mil.

Revelado pelo jornal "Eleftheros Typos", ligado à oposição, o caso da ajuda à moradia da vice-ministra rapidamente se tornou um escândalo, em um país governado por um partido de esquerda que aplica uma política de austeridade bastante impopular.

"Nunca tive a intenção de insultar o povo grego", afirmou Antonopoulos em um comunicado, dizendo "compreender" que sua situação financeira "tenha aumentado a indignação pública".

Rania Antonopoulos pretende devolver o dinheiro.

O governo decidiu, por sua vez, suprimir imediatamente o auxílio-moradia aos ministros que não são deputados, como era o caso de Rania Antonopoulos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.